sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

• Say no to Love - Capítulo 23 - Justin is back



 

MellanieON


Já faz cinco dias que o Justin está fora da cidade, ele foi no domingo e hoje é sexta-feira. Não pense que esses cinco dias passaram rápido, muito pelo contrario, essa semana parece que não passa e ainda falta quase três dias pra que ele volte, ele volta só no domingo. Eu venho falando com ele pela web cam sempre, quase todos os dias pra falar a verdade, menos ontem, não sei o que aconteceu ele simplesmente não entrou no skype, achei estranho talvez ele já estivesse enjoando de mim, quem sabe, de qualquer forma na escola vem sendo um tédio sem ele, acho que já me acostumei com aquele movimentação por onde quer que eu vá quando ele está presente no colégio, antes isso era um problema pra mim, mas hoje já nem ligo mais. 
  Christian e eu continuamos na mesma, nós nunca tínhamos brigado assim por tanto tempo, pra ser sincera nunca brigamos sério, sempre foi pequenas discussões mas dessa vez sinto que é pra valer, pra ajudar ele fez uma nova amizade, me substituiu mais rápido do que eu pensava, o tempo todo o vejo conversando com uma garota da sala dele e pelo o que andei me informando seu nome é Sol. Caitlin me disse que ele já levou ela duas vezes pra casa e que eles ficaram jogando vídeo game o dia todo, definitivamente aquela garota roubou o meu lugar, roubou o meu melhor amigo, isso dói, dói saber que eu sou tão substituível pra ele, mas de qualquer forma vou tentar conversa com o Chris hoje, perguntar se ele não sente minha falta, porque eu na boa sinto muito a falta dele.

Já estava pronta pra escola vesti essa roupa

 Hoje eu tenho três provas e apesar de ter estudado estava preocupada, essa prova vale muito na nota final, sei que tenho 2 pontos na média de cada matéria pela minha ida ao acampamento, mas ainda sim preciso ir bem nessa prova.


(...)


Cheguei na escola estacionei minha moto no lugar de sempre, aquele era o meu lugar ninguém mais estacionava ali. Entrei e fiquei observando pra ver se encontrava o Christian por qualquer canto daquele colégio, eu encontrei, ele estava parado próximo a um pilar conversando com a tal Sol, respirei fundo e me aproximei deles. Fiz um rangido com a garganta atrapalhando os dois que estavam rindo e conversa antes de eu chegar, me parecia estar em uma papo muito interessante, Christian me olhou indiferente, como se fosse qualquer outra pessoa que estivesse ali

Mel: Podemos conversar Chris? Eu queria muito falar com você.
Chris: Sinto muito, mas eu não tenho tempo pra você agora.


Ele estendeu a mão pra garota, disse ‘’vamos’’  e simplesmente saiu dali. Me senti um lixo, me senti uma qualquer, eu não sei descrever o que eu estou sentindo, mas é como se eu fosse inferior a qualquer pessoa desse planeta. Segui caminho até meu armário, eu estava com uma vontade incontrolável de chorar, tentei segurar juro que tentei, mas quando cheguei no armário as lagrimas correram pelo meu rosto, fiquei ali com a cabeça praticamente enfiada nele fingindo procurar alguns livros mas na verdade eu só não queria que as pessoas me vissem chorando. Foi nesse momento em que Caitlin apareceu toda alegre dizendo o meu nome.



Caitlin: Gorda eu estava te procurando –segurou no meu ombro me virando- Ei amiga, o que aconteceu?
Mel: Não é nada – passei a mão na parte inferior aos olhos tentando limpar as lagrimas que escorriam – se eu disser que caiu um cisco no meu olho você vai acreditar?
Caitlin: Não, porque não cairia cisco nos seus dois olhos, anda conta logo!
Mel: Ah – tentei engolir o choro- é o de sempre sabe? Seu irmão!
Caitlin: O que o idiota do Christian fez com você?
Mel: Na verdade nada, ele só me ignorou.
Caitlin: Eu vou ter uma conversa com aquele moleque, ele está precisando ouvir umas boas verdades.
Mel: Não Caitlin, por favor não faça nada ok?
Caitlin: Tem certeza que não quer que eu converse com ele?
Mel: Tenho, por favor!
Caitlin: Tudo bem, mas então não chora mais né – ela passou as mãos nos meus olhos enxugando minhas lagrimas- De qualquer jeito eu tenho uma coisa que vai melhorar bastante o seu dia.
Mel: Nada melhoraria o meu dia...na boa tudo o que eu quero agora é fazer logo essas benditas provas e ir pra minha casa.
Caitlin: Duvido que não melhore, só vem comigo tá legal?- começou a me puxar-
Mel: Ir pra onde a essa hora?? Caitlin daqui 5 minutos toca o sinal e tem prova não podemos nos atrasar –falei enquanto andávamos-
Caitlin: Ai não esquenta! Olha eu prometo que dessa vez eu não estou te levando pra ver nenhuma estatua de Justin Bieber.
Mel: Acho bom mesmo, porque se não eu te mato

Começamos andar pelos corredores até sairmos do colégio, chegamos na rua, na calçada pra ser mais especifica e eu não vi nada além das mesmas pessoas, das mesmas coisas de sempre

Mel: Caitlin já estamos fora do colégio
Caitlin: Avá descobriu isso sozinha? - ela me encarou e continuou me puxando- vem que estamos chegando


Continuamos andando pela calçada até chegarmos na esquina, viramos ela e foi quando dei de cara com alguém encostado na parede, ele tinha a perna apoiada na mesma e as duas mãos no bolso, meu coração simplesmente disparou e minhas pernas bambearam 



Mel: JUSTIN?


JustinON

 

Se eu tivesse que esperar mais algum dia para vê-la eu provavelmente não suportaria, fala sério eu já á desejava a muito tempo e quando finalmente consigo tê-la eu tenho que viajar, isso é tortura para alguém que sonhava com esse momento a tempos. Meus shows por Las Vegas acabaram, agora só me restavam entrevistas que eu sinceramente não estava nem um pouco a fim de dar, olhei pro Scooter e pedi para que cancelasse as duas entrevistas que eu tinha, obviamente eu surtou e fez o típico sermão de sempre, disse que as vezes eu ajo como um irresponsável e todas essas coisas chatas que eu já estou cansado de ouvir e que pra mim não importa nem um pouco, eu só queria voltar pra Atlanta, eu só queria aproveitar meu tempo um pouco com a Mellanie e depois se ele quiser eu dou mil entrevista se preciso. Scooter não quis cancelar como eu já esperava, mas eu disse que se eu fosse dar essas entrevistas eu diria que estou namorando, isso tecnicamente não é verdade, pelo menos não ainda,  mas Scooter nunca permitiria que eu dissesse isso de uma hora pra outra sem que as pessoas não tivessem nenhuma suspeita ou algo assim, no final de tudo ele acabou cancelando porque eu simplesmente não iria dar nenhuma entrevista, nem mesmo que me levassem arrastado daqui, ele não teve escolha a não ser dizer pra imprensa que eu estava doente, disse que não era nada grave apenas uma indisposição e que e não poderia dar as entrevista nos próximos dias, como o esperado depois disso ele ficou de cara virada comigo. Tudo bem não me importa, nada me importa, eu ainda não consegui esquecer o fato dele ter me escondido o que aconteceu naquele dia com o Lil mesmo, e como eu vivo dizendo acho que já tenho idade o suficiente pra tomar as minhas próprias decisões, odeio que as pessoas fiquem me dizem o tempo todo o que eu devo ou não fazer, eu não sou um robô e muito menos uma maquina programada pra agradar a todos, eu quero primeiro de tudo agradar a mim por que eu sempre penso nas pessoas e pelo menos uma vez na vida estou pensando em mim.

Cheguei em Atlanta na sexta-feira pela manhã, eu tinha pegado o primeiro voou que consegui pela madrugada, fui pra casa e depois de chegar dei um beijasso na minha mãe que ficou lá me abraçando e me apertando o tempo inteiro, é sempre assim quando eu volto de viagem, ela não desgruda de mim nem um segundo, eu reclamo mas no fundo eu não saberia viver sem isso. Quando consegui fazer ela desgrudar de mim, tomei um banho e me arrumei. Pensei em ir até o apartamento da Mellanie, mas a esse horário ela deve estar no colégio então peguei meu carro e dirige até o colégio.

Não havia avisado a ela que voltaria hoje, eu queria fazer um surpresa e ontem também nem nos falamos pelo skype, estava arrumando as coisas da passagem com Scooter para voltarmos pra cá afinal nosso voou certo seria no domingo de manhã, então nem tive tempo de fazer uma chamada de vídeo com ela. Quando cheguei no colégio estacionei meu carro próximo a esquina da escola para que ninguém me visse, não quero que as pessoas me vejam aqui caso aconteça viram pra cima de mim e eu não terei tempo de ver quem eu realmente estou querendo ver desde quando viajei. Por sorte avistei Caitlin de longe junto ao Christian, acenei para eles com o intuito de fazê-los vir em minha direção mas a única que veio foi a Caitlin. Christian continuou andando em caminho a entrada do colégio, ele me aparentava estar com bom humor, não entendi mas também nem esquentei a cabeça

Caitlin: Justin? Você não voltava só no domingo? – nos abraçamos-
Justin: É, resolvi voltar antes.
Caitlin: E por quê?
Justin: Bom, é que...Mellanie não te contou nada?
Caitlin: Sim ela me contou -riu- voltou antes por causa dela não é?
Justin: É –sorri meio sem graça-
Caitlin: Eu queria justamente falar com você sobre isso.
Justin: Então fale
Caitlin: Eu só quero te avisar que a Mellanie não é qualquer uma, ela não é como essa garotas da escola que você fica, está me entendendo?
Justin: Eu nunca pensei que fosse, eu sei que ela vale mais do que qualquer garota daqui.
Caitlin: Sim, e por isso mesmo eu não quero que brinque com ela, eu não quero que a machuque porque ela não merece sofrer
Justin: Eu nunca a machucaria, caso eu fizesse isso estaria machucando a mim mesmo.
Caitlin: Você acaba machucando as garotas sem perceber Justin, talvez você não faça por mal mas  de fato acaba fazendo, e sinceramente não quero que você faça isso com ela, não quero que a use como um passa-tempo assim como faz com as outras garotas
Justin: Caitlin com ela é diferente eu juro, eu gosto dela desde a primeira vez que eu a vi, eu nunca seria capaz de machuca – lá,  as vezes em que eu a vi sofrendo por algo doeu mas em mim do que nela mesma, eu não suporto ter que vê-la chorando e sou capaz de tudo pra vê-la sorrir. Eu sei que eu não sou um cara certo e que faço muita burrada por ai, principalmente com as mulheres,  mas com ela eu prometo que vai ser diferente, eu prometo que vou fazer de tudo pra ser o cara que ela merece ter, ela me faz querer ser uma pessoa melhor, me faz querer ser diferente, e se eu voltei hoje foi justamente por isso, porque não agüento mais ficar longe dela.
Caitlin: aawn- colocou a mão sobre sua duas bochechas- que lindo, você gosta dela!
Justin: Sim, eu gosto muito!
Caitlin: Você a ama?
Justin: Ei vai com calma, já não é nada fácil ter que falar sobre isso você ainda fica fazendo essas perguntas constrangedora
Caitlin: Tudo bem, não precisa responder –riu- saiba que agora eu apoio vocês ficarem juntos sério.
Justin: Obrigado, eu sei que sua opinião é muito importante pra Mel
Caitlin: Só espero que você esteja falando a verdade, se não eu te procuro até de baixo das plantinhas mas eu te acho e acabo com a sua raça.
Justin: -riu- Fica tranqüila, não vai precisar.  
Caitlin: Ok, quer que eu a chame? Ela vai ficar super feliz em ver você, até porque ela anda meio tristinha ultimamente
Justin: Por que? O que ela tem?
Caitlin: Eu prefiro que ela mesma te conte.
Justin: Tá, então você pode a trazer aqui por favor?
Caitlin: Trago sim um minuto – virou as costas e saiu andando-
Justin: Ei Caitlin –parou e me encarou- não diz que eu estou aqui não, trás sem dizer nada ta bem?
Caitlin: OK pode deixar.


Encostei ali na parede esperando, a cada segundo mais impaciente, hoje eu vou finalmente vê-la de novo, depois daquele beijo que demos em Straford tudo o que eu quero é repetir aquele momento varias e varias vezes. 

Caitlin estava demorando muito, se ela não trouxesse a minha garota eu mesmo entraria lá e a procuraria. Minha garota? ela nem se quer é minha de verdade, mas eu gostaria muito que fosse e de qualquer jeito vou fazer de tudo para que um dia ela seja. Esperei mais alguns minutos, estava quase me cansando de esperar, foi quando a vi virar a esquina junto a Caitlin, se minha intenção era a deixar supressa com certeza consegui, ela realmente parecia estar supressa em me ver, disse meu nome assim que deu de cara comigo, desencostei da parede e abri um sorriso involuntariamente, ela estava linda como sempre, ou melhor, a cada dia que passa fica ainda mais linda, veio em minha direção

Mel: Me abraça Justin?

Ela mesma me abraçou, Caitlin havia me dito que ela estava tristinha e só pelo fato dela ter me pedido um abraço percebi o quão triste ela estava, envolvi meu braços sobre ela a abraçando bem forte, apertando contra o meu peito,  queria transmitir segurança, e seja lá o que tenha acontecido, agora eu estou aqui e não irei deixar que ninguém a faça mal.
Cait piscou pra mim, sussurrei um ‘’valeu’’ por ela ter trazido a Mellanie até aqui, e depois ela foi embora


Justin: O que aconteceu?
Mel: Você voltou na hora em que eu mais preciso de você – continuava agarrada em meu peito-
Justin: Se soubesse que você estava precisando de mim, teria voltado mais cedo.
Mel: Mas você voltou
Justin: Acho que eu senti que você precisava de mim – desabracei a fazendo ela olhar em meus olhos e deslizei minha mão suavemente sobre o seu rosto - vai me contar o que aconteceu?
Mel: Sim eu vou – colocou sua mão em cima da minha a acariciando também- mas não agora
Justin: Por que não?
Mel: Eu tenho prova
Justin: E quem se importa?
Mel: Eu né Justin –riu-
Justin: Pois eu não me importa nem um pouco
Mel: E como vamos resolver isso?
Justin: Você vem comigo!
Mel: Pra onde?
Justin: Pra qualquer lugar
Mel: E onde seria qualquer lugar?
Justin: Não importa, o importante é estarmos juntos.
Mel: Está tentando me influenciar com essa palavras bonitas moço?
Justin: -ri- você é influenciável?
Mel: Nem um pouco –balançou a cabeça negativamente-
Justin: Nem pelo cara que ficou longe de você durante um mês e que estava morrendo de saudades?
Mel: Não foi um mês, foram cinco dias
Justin: Pra mim foi um mês 
Mel: Não pode nem esperar eu acabar a prova?
Justin: Eu quero você agora – ela sorriu e me olhou indesisa- relaxa linda, eu faço o diretor te dar a prova amanhã
Mel: Mas como?
Justin: Ele é meu amigo lembra? ele vai concordar
Mel: É, ele não nega um pedido seu
Justin: Então... você vem?
Mel: Meu coração diz que eu devo ir, mas minha cabeça diz que eu devo ficar
Justin: Eu acho que você deveria ouvir o seu coração
Mel: Porque lhe convém
Justin: E muito –sorri malicioso-
Mel: idiota- bateu no meu peito e riu- eu vou com você.



MellanieON

 

Ele me abraçou me rodopiando pela calçada, isso tudo é saudades de mim? A única coisa que sei é que estava morrendo de saudades desse filho da puta, tanto que estou deixando minhas provas pra ir com ele só Deus sabe pra onde, eu devo ter perdido o juízo mesmo, mas quem consegui manter o juízo perto de um garoto desses? Quem consegui resistir a um pedido dele? Bem eu conseguia a um tempo atrás, mas hoje simplesmente não consigo mais, até porque eu também estava louca pra ficar com ele longe desse lugar, longe da escola e dessas pessoas.

 Ele me colocou no chão e eu estava rindo pelo fato dele ter ficado todo feliz, todo agitado somente porque eu aceitei a ir com ele, como se isso fosse motivo de felicidade não é? De qualquer jeito ele me faz sentir-se especial, tudo o que ele diz, o jeito que ele diz, me faz sentir-se importante pra alguém pelo menos uma vez na vida. Ela me pegou pela mão e saiu correndo comigo até o seu carro, o carro estava perto, não tivemos que correr muito. Destravou o alarme e abriu a porta pra mim.

Mel: Você é maluco – entrei no carro rindo-
Justin: Sim, eu sou maluco –fechou a porta pra mim após sussurrou- maluco por você.


Mesmo com a porta do carro fechada eu pude ouvir perfeitamente o que ele disse, coloquei o cinto e enquanto isso ele deu a volta e entrou no carro também


Mel: Só pra deixar claro, eu ouvi o que você disse – ele deu uma risadinha e me encarou-
Justin: Essa foi a intenção.
Mel: Foi?
Justin: Eu só disse a verdade 


Não disse nada apenas fiquei o encarando por um tempo, como eu já disse não sou muito boa pra reagir a esse tipo de coisas, não sei reagir a cantadas, a elogios e muito menos a palavras carinhosas, eu poderia muito bem dizer que comigo acontece a mesma coisa, que ele também me deixa maluca, isso não seria uma mentira mas não quero que ele pense que me tem em suas mãos, não quero que ele ache que eu sou vulnerável a ele como todas as outras garotas que fazem o que ele quer o tempo todo.  Ele me olhava com um olhar doce e eu o encarava também, como se nossos olhos conversassem entre si, talvez eu estivesse vermelha de vergonha, não sei, mas resolvi quebrar o silêncio pois meu olhar agora encarava os seus lábios, não queria perder o controle e aparentar desesperada, vamos ter muito tempo pra nos beijarmos seja lá onde ele vai me levar.

Mel: Agora que eu concordei, você já pode me dizer pra onde vamos?  
Justin: I can take you places you ain't never been before, baby take a chance or you'll never ever know 


O idiota começou a cantar um pedaço de boyfriend, que significa ‘’ Posso te levar a lugares que você nunca foi antes, querida, me dê uma chance ou você jamais saberá’’ comecei a rir com aquela voz sexy que ele fez,  foi exatamente igual a música só que ainda melhor, porque ele estava ali cantando só pra mim, continuei a música 


Mel: I got money in my hands that I'd really like to blow, swag swag swag, on you

Ele riu e me acompanhou também, fizemos praticamente um dueto, fomos os dois  cantando boyfriend pelo caminho,  é tudo natural, é tudo tão espontâneo, sabe não é nada forçado, a gente simplesmente cantávamos e riamos o tempo inteiro. Quando acabou boyfriend eu peguei um cd dele no porta luvas e coloquei pra tocar, fazia tempo em que não parava pra ouvir suas músicas assim, fiquei impressionada comigo mesma pois eu ainda lembro perfeitamente a letra de cada uma delas, de vez em quando ‘’discutíamos’’ pra ver qual música do CD colocaríamos pra tocar, mas no fim ele me deixava escolher todas e fomos nós três cantando o resto do caminho. Sim, nós três! Eu, o Justin que eu conheço o que está aqui do meu lado agora, e o Justin pop start que cantava na rádio, porque pra ser sincera eles não são a mesma pessoa, a uma grande diferença entre o Justin que está aqui ao meu lado e o Justin famoso que a mídia fez questão de criar. 

Finalmente ele parou o carro, segundo o relógio andamos um 35 minutos mas eu não diria que foi tudo isso, parece que o tempo voa quando estou com ele


Mel: Eu nunca tinha vindo por esses lados.
Justin: Eu disse que posso te levar a lugares em que você nunca esteve antes
Mel: É, eu devia ter levado isso a sério
Justin: Deveria -desabotoou o cinto- por mim eu te mostro o mundo inteiro, se você quiser
Mel: O mundo todo?  Mas demoraria muito tempo
Justin: Nós temos todo o tempo do mundo – deu um piscadinha e desceu do carro-


Fiquei refletindo sobre aquilo que ele havia dito enquanto ele dava a volta pela frente do carro,  porém eu mesma abri a porta e desci.


Justin: Devia ter deixado eu abrir a porta pra você, eu gosto de fazer isso -fechou a mesma-
Mel: Da próxima vez eu deixo ta?  –sorri de canto e ele fez que sim com a cabeça- onde estamos exatamente?
Justin: Ainda não chegamos, vamos ter que andar um pouco
Mel: É muito longe daqui?
Justin: Não muito, mas você vai ter que ir de olhos fechados
Mel: Bebeu? Nem pensar!
Justin: Eu quero fazer supressa, larga de ser chata e fecha os olhos
Mel: Não ow, vai que eu caiu no caminho, e além do mais olha –apontei pra umas pedras- lá na frente tem umas rochas, se eu cair e sair rolando ali já era
Justin: Confia em mim – segurou minha cabeça e deu um beijo na minha testa, depois passou a mão suavemente nos meus olhos para que eles se fechassem- eu nunca deixaria você cair

Falando assim desse jeito não a como negar não é? ele segurou em minha mão e fomos andando, eu ia de olhos fechados enquanto o deixava me guiar por ele, passamos por entre aquelas rochas, lógico que eu não vi, mas deu pra perceber que passamos por elas, era quase como uma decida. Segundo ele o lugar não estava longe, comecei a ouvir um barulho diferente, barulho de água, percebi também que o lugar onde pisamos não era concreto, era como se fosse terra, ou areia.
 
Mel: Já posso abrir?
Justin: Calma, só mais um pouquinho – ele segurou  de frente nos meus dois braços e fomos dando mais alguns passos a frente- pronto, agora  pode abrir  


Abri os olhos vagarosamente, e dei de cara com o lugar mais lindo que eu já vi em toda a minha vida, não é a toa que eu estava ouvindo barulho de água, era o mar, mas não era simplesmente um mar, era de água cristalina daqueles que você só vê em fotos na internet, tipo aquelas fotos em HD onde parece que aquele lugar não real, que é feito pelo computador ou algo assim, parece uma miragem de tão perfeito, mas não , isso aqui é real mesmo. Sei lá, eu pensei que ele fosse me levar em um parque, em uma praça, ou até mesmo em um zoológico, minha mente criativa imaginou mil lugares no qual ele me levaria, mas ela não imaginou em nenhum momento um lugar tão perfeito quanto esse



Mel: Justin esse lugar é – abri a boca sem palavras-
Justin: Lindo, não?
Mel: É maravilhoso, onde ele se esconde?
Justin: -riu- É meu ponto de refúgio, eu venho aqui as vezes quando estou de saco cheio do mundo
Mel: As pessoas conhecem esse lugar?
Justin: Poucas pessoas – sentou-se na areia- eu nunca trouxe ninguém aqui, você é a primeira.
Mel: Me sinto honrada é incrível –me sentei na areia também-  como você descobriu esse lugar?
Justin: Um amigo me falou sobre ele- fiquei em silêncio ainda impressionando olhando aquela água maravilhosa - vem cá,  senta mais perto de mim

Me aproximei dele que me puxou me ajeitando entre suas pernas, encostei minhas costas sobre ele
 


Entrelaçamos nossa mãos, e ficamos brincando com os dedo enquanto ouvíamos somente o barulho das ondas, incrível como eu me sinto segura com ele, é como se nada, nenhum mal pudesse me afetar enquanto eu estiver aqui junto a ele, como se ele fosse me proteger de tudo e todos, alias é como se mais nada existisse, somente eu, ele, e esse lugar maravilhoso, não me importaria nenhum pouco de ficar aqui pra sempre, contanto que ele estivesse comigo eu não precisaria de mais nada
 
Justin: Durante essa semana toda imaginei esse momento, em estar assim com você sabia?
Mel: Eu senti a sua falta Justin – ele riu- o que foi?
Justin: É engraçado ouvir você dizendo isso
Mel: E por que?
Justin: Porque você é uma pessoa que não admite as coisas tão fácil, e eu fiz você admitir que sentiu a minha falta ...já é um avanço
Mel: Não fique se achando, eu não senti tanto assim.
Justin: Claro que não – riu e levou nossas mão entrelaçadas até sua boca, beijando a minha- o que você está fazendo comigo hein mocinha?
Mel: Por que está dizendo isso?
Justin: Eu me sinto diferente, mais feliz... Mellanie eu penso em você o dia inteiro
Mel: Justin Bieber pensando em mim? Olha é melhor não dizer isso perto das suas peguetes, elas podem ficar com ciúmes
Justin: Eu estou falando sério Mel
Mel: E eu também uai
Justin: Você não entende mesmo –soltou a minha mão-
Mel: Então me explica – virei de frente pra ele –
Justin: Eu já não quero mais peguete nenhuma, eu já não consigo me interessar por mais ninguém,  eu só quero uma garota, só ela é capaz de me fazer feliz de verdade e essa garota está bem aqui na minha frente – fiquei em muda por alguns segundos, depois olhei pros dois lados procurando alguém-
Mel: Aqui onde? 
Justin: Bobaaaaaaaa!! –nós dois gargalhamos por uns 2 minutos sem parar, até não agüentarmos mais- Agora sério  -falou terminando de rir-  você acredita em mim?
Mel: Eu nem acredito, e nem desacredito
Justin: Como assim?
Mel: É tudo muito novo pra nós Justin,  eu não gostava de você antes,  por isso  você se sentia atraído por mim, porque eu era a única garota nesse universo que odiava você, você não admitia ter uma garota que não rastejasse aos seus pé, por isso enquanto você não ter a certeza de que eu posso ser sua assim como todas as outras, você vai ficar confuso, misturando sentimentos, desse jeito achando que gosta de mim.
Justin: Achando não, eu tenho certeza!  Mellanie olha bem nos meus olhos –virou meu rosto fazendo encarar aquele par de olhos castanhos brilhante- Eu nunca tive tanta certeza do que eu sinto como eu tenho agora, você é tudo o que eu quero, é tudo o que eu preciso... eu gosto de você desde a primeira vez que eu te vi, você pode achar clichê ou simplesmente não acreditar em mim mais é a pura verdade, é algo maior do que eu, quando eu soube que você me odiava eu tentei odia-lá também, eu fiz de tudo pra te odiar mas eu simplesmente não consegui, e pra ser sincero eu sentia que você não me odiava, pelo menos não de verdade, eu sentia que tinha algo que te fazia agir daquela maneira e no final eu tinha razão o tempo todo. Quando nos beijamos pela primeira vez naquela floresta no acampamento, você se entregou tanto naquele beijo, foi diferente de qualquer outra garota que eu tenha beijado, foi mais verdadeiro e intenso, naquele dia que eu tive a certeza do que eu sinto por você e estava disposto a não desistir de te conquistar custe o que custar, fico triste em saber que você não acredita em mim porque na moral, eu nunca fui tão sincero

Fiquei só ouvindo o que ele tinha a dizer, eu definitivamente não sei o que pensar mais o meu coração pulava dentro do meu peito, ele insistia em acreditar em cada palavra dita por ele
Mel: Justin...
Justin: O que?
Mel: Eu quero te beijar...agora!
Justin: E por que não beija?
Mel: Eu tenho vergonha – ri e ele também-
Justin: Não se preocupe, essa atitude é minha –colocou a mão em minha nuca e se aproximou-
Mel: Espera!!
Justin: O que foi? –olhou assuntado-
Mel: Não pense que vai ser tão fácil assim, antes você tem que me pegar


Me levantei e sai correndo pela areia 

Justin: Isso não vai ser um problema


Ele começou a correr atrás de mim, corríamos feito duas crianças brincando de pega-pega, já havia me esquecido de como essa brincadeira é divertida, eu não o deixaria me pegar tão fácil, corri o maximo que pude e ele ainda estava longe de mim


Justin: Porra Mellanie, será que dá pra deixar eu te pegar logo? Eu quero te beijar 


Ri enquanto corria e fui diminuindo a velocidade, eu já estava cansada mesmo e minhas pernas já não me obedecia mais, foi quando ele finalmente se aproximou me derrubando na areia, ficou por cima de mim me olhando e tomando fôlego 

Mel: Droga!
Justin: O que?
Mel: Você me pegou.
Justin: Não queria que eu te pegasse?
Mel: Queria – sorri encarando seus lábios -te deixei sem fôlego?
Justin: Você vai deixar, mas é de outro jeito...


Ele fitou meu lábios também, se aproximou até fazer os meus se encontrarem com os dele, finalmente depois de quase uma semana desejando aquilo agora eu estou matando a minha vontade, ele me beijava tão carinhosamente, acho que nenhum outro garoto me beijou dessa maneira, segurava na sua camisa o puxando pra mais perto, não queria solta-lo de jeito nenhum e também não queria que ele me soltasse, mas infelizmente isso uma hora tem que acontecer. Ele terminou o beijo com um selinho demorado, e eu o puxei de novo dando outro selinho


Justin: Então, a estatua lá beija melhor do que eu?
Mel: Qualquer um beija melhor do que você –menti descaradamento-
Justin: Aé? –ele riu e me selou- Tudo bem, você vai pagar por isso


Se levantou me pegando no colo, parecia que iria aprontar alguma

Mel: Justin o que você vai fazer?
Justin: Advinha? 

Começou a andar comigo em seus braços em direção ao mar
 
Mel: Justin, nem pense nisso
Justin: Eu disse que você iria pagar
Mel: Mas eu não sei nadar
Justin: Não tem problema
Mel: Eu tenho medo
Justin: Eu estou aqui.


Ele entrou comigo no mar, e foi andando cada vez mais pro fundo, eu juro eu realmente não sei nadar, nunca tive alguém que me ensinasse, eu simplesmente tenho pavor de mar, piscina e todas essas coisas
 
Mel: Justin por favor, não me solta! – falava segurando forte em seu pescoço-
Justin: Aqui ainda te dá pé, não tem porque ter medo  - foi agachando vagarosamente-
Mel: Não me solta por favor, não solta
Justin: Ei calma, eu não vou te soltar 

Ele agachou até que me molhasse inteira, esse filho da mãe além de tudo molhou o meu iphone que estava em bolso esquerdo

Mel: Justin idiota, essa água ta fria
Justin: Acho que vou ter que me vingar por esse xingamento também, que tal se eu te soltasse rapidinho!?
Mel: Não, não faz isso, não me solta –segurava cada vez mais firme em seu pescoço
Justin: Então diz que eu sou gostoso
Mel: Eu não vou dizer isso
Justin: Ok, você que pediu hein
Mel: VOCÊ É GOSTOSO, VOCÊ É MUITO GOSTOSO – ele ria sem parar- PARA DE RIR VAGABUNDO
Justin: Vai continuar me xingando? Tem certeza?
Mel: Não eu não vou,  vamos sair daqui, por favor
Justin: Só porque pediu por favor.

Saímos da água, e eu queria socar esse garoto idiota que me molhou inteira, inclusive meu cabelo e todo o resto do meu corpo, eu estava ensopada, literalmente.


 -----------------------------------------------------
Por favor cometem, vocês não sabe o quanto eu demorei pra fazer essa capitulo, agora é 9:50 da manhã e eu simplesmente virei a noite escrevendo ele kkk

agora tô de férias e vou tentar não demorar a postar, é só comentar e divulgar.

obrigada minhas lindas, espero que gostem




9 comentários:

  1. Sempre amo os capítulos dessa IB...incrível como histórias assim me prendam tanto, e parabéns pela escrita e pelas ideias.
    Espero que poste logo os próximos capítulos, pois esse, assim como os outros, deixou um gostinho de quero mais.
    Fica com Deus!

    Xoxo
    NGB*

    ResponderExcluir
  2. In love com esse cap a cada dia sua ib fica mais pfta <3 @60nojdb

    ResponderExcluir
  3. suas ib's sao tao perfeitas, nunca vou parar de ler <33333
    amr nao ser chata nem nada mas voce vai continuar a ib i breathe for you? eu era/sou apaixonada por essa fic, tipo demais jfkfdgf foi umas das primeiras ib que comcei a ler *-*
    ta prft esse capitulo amr parabens <333

    ResponderExcluir
  4. ta muito booooooooooooooom , continuaaa meu deus do ceu!!!

    ResponderExcluir
  5. Continua bb <3 @ddlcsi

    ResponderExcluir
  6. Guria tua ib é perfeita,posta o mais rápido que puder xD - alicia

    ResponderExcluir
  7. Vc tem um dom,o dom de escrever,nunca pare de escreves sua fic é ótima *-* ass: giulia

    ResponderExcluir
  8. O chris tem q gostar da mel e lutar por ela,tipo a mel ta só pro justin tem que ter alguém que queira a mel,pq o justin n deve ter ela tão facil assim,mais em fim,continua - andressa

    ResponderExcluir
  9. Awwnnn continua, q perfeita *-*

    ResponderExcluir