domingo, 20 de outubro de 2013

• Say no to Love - Capítulo 20 - Uma semana sem você



Fomos a viagem com destino desconhecido inteira sem falar absolutamente nada, até chegarmos em um lugar, eu reconhecia aquele lugar.

STRATFORD 

Porque ele me trouxe a esse lugar? Desci do avião olhando tudo em volta, sim era Stratford, eu não tinha a menor duvida de que era essa cidade maravilhosa. Justin desceu do avião logo atrás de mim.

Mel: Por quê você me trouxe a esse lugar?
Justin: Tem uma coisa que precisamos fazer juntos.
Mel: Chega de joguinhos Justin, me diz logo o que é
Justin: Vem, logo você vai descobrir já está perto.

Ele foi andando até um carro que estava parado ali o esperando, e eu não tinha outra opção a não ser ir atrás dele. Entramos, e eu estava cada vez mas curiosa pra saber a onde estávamos indo, sem contar que estava morta da viagem, Justin tinha a mesma carinha de cansaço. Eu ficava olhando por entre a janela, aquela cidade que anos atrás eu morria de vontade em conhecer,e vejam só, hoje eu estou aqui, olhando ela pela janela do carro com o Justin do meu lado, apesar que hoje em dia isso não faz a mínima diferença pra mim.

 Tinha um moço na rua vendendo flores e Justin parou próximo a ele, desceu do carro pediu para que eu esperasse ali dentro mesmo, logo mais voltou com dois vasos lindos, na verdade perfeitos de flores.

Justin: Vamos precisar disso – me entregou os vasos dando um sorrisinho fraco e após um piscadinha -

Finalmente chegamos onde ele queria, eu olhei em volta e achei aquele lugar muito estranho, até reparar a enorme placa que havia no local. ‘’Cemitério Stratford ‘’. Ele desceu do carro levando os vasos de flores, foi ai que eu entendi tudo e foi ai que meu coração disparou. Justin olhou pra mim por entre a janela do carro 

Justin: Chegamos, não vai descer?
Mel: Não – Olhei seria e ele sorriu colocando os vasos no chão, deu a volta pelo em seguida abrindo a porta pra mim- Eu quero ir pra casa.
Justin: Estamos muito longe de casa agora.
Mel: Você disse pra confiar em você.
Justin: E pode confiar.
Mel: Olha pra onde você me trouxe.
Justin: Ah não é tão mal assim vai, eu poderia ter te levado a um motel você acharia pior.
Mel: Não brinca Justin.
Justin: Vem, não precisa ter medo – segurou minha mão me ajudando a sair do carro-
Mel: Eu não quero fazer isso
Justin: Mas precisa.
Mel: Por que não entra sozinho? Se você quer fazer isso, faça você!
Justin: Eu quero fazer, mas com você ao meu lado.
Mel: E por quê?
Justin: Porque eu também tenho medo e com você eu fico mais seguro.
Mel: Larga de ser mentiroso, eu te deixaria com mais medo ainda.
Justin: Melhor dois com medo juntos, do que um com medo sozinho.
Mel: Eu não acho.
Justin:Vem logo, já estamos aqui mesmo. 


Ele foi até a calçada abraçando os dois vasos que estava no chão com uma mão só, com a outra ligou o alarme do carro depois que eu fechei a porta. Foi entrando pela enorme porta principal  do cemitério e eu fui logo atrás dele contrariada é claro, mas pra falar a verdade eu sentia que eu precisava fazer isso também. Perto do portão tinha um senhor que cuidava daquele lugar, Justin parou ali mesmo e perguntou sobre o tumulo da Verônica, o senhor nos disse mais ou menos onde era  não sei como ele soube responder nossa pergunta porque havia muitos túmulos ali, ele deve trabalhar nesse lugar a anos. Fomos andando por entre todos aqueles túmulos... Sabe, desde que ela morreu eu nunca tive coragem de vir nesse lugar, porque eu não culpo somente o Justin, eu não odeio somente o Justin, eu odeio a mim mesma também, pra dizer a verdade eu sou a mais culpada por tudo o que aconteceu, se eu tivesse a impedido de sair de casa pra ir procurar o Justin pelas ruas nada disso teria acontecido e eu não estaria nesse lugar agora.  

Parei de andar, minhas pernas travaram eu estava com medo, o sentimento de culpa me rondava. Justin olhou pra atrás me encarando.

Mel: Eu não consigo fazer isso Justin
Justin: Ei, eu estou aqui não tenha medo -estendeu a mão – vem comigo?

Dei alguns passos segurando sua mão, de qualquer forma segurar sua mão  me trazia confiança me deixava mais segura. Eu não tenho medo de estar em um cemitério, nem de espíritos nem de nada disso, eu tenho medo de encarar aquilo, de ver o tumulo dela e saber que eu ajudei pra que aquilo acontecesse. Fomos andando o resto do caminho, eu segurava sua mão bem forte, não queria que ele me soltasse, não naquele lugar. 

Justin: É esse - ele falou apontando pra uma plaquinha com a foto e nome dela-

JustinON

                                                                                                             
                                              
Mellanie se ajoelhou debruçando sobre o tumulo de Verônica soltando a minha mão ela desabou ali mesmo, não é a primeira vez que eu a vejo chorando, mas é sempre difícil pra mim ter que ver isso, eu prefiro mil vezes ver ela me batendo, me xingando, pisando em mim do que isso, ainda mais ela que por fora aparenta ser tão forte, mas por dentro é tão sensível e frágil, o pior de tudo é saber que eu sou o principal culpado pelo seu sofrimento, isso faz com que eu me odeie.  Olhei fixamente pra plaquinha com o nome e foto de Verônica, e naquele momento eu pedi perdão, perdão por ter sido o idiota que acabou com sua vida, em pensar que um dia ela teve coragem de idolatra um idiota como eu... Depois dei alguns passos colocando os vasos de flores que comprei em cima do tumulo. Fiquei em silencio mas alguns minutos apenas ouvindo o choro da Mellanie, aquilo era torturante. Depois agachei ao seu lado colocando minha mão em suas costas


Justin: Você não precisa mais ficar aqui, podemos ir.
Mel: Eu sinto a falta dela Justin- falou entrei soluços-
Justin: Eu sei disso, sei também que ela não gostaria de ter ver desse jeito.
Mel: É mais forte do que eu
Justin: Tudo bem, mas precisamos ir agora- balançou a cabeça concordando-

Ajudei com que ela se levantasse de vagar, depois a abracei de lado e fui a conduzindo pelo caminho de volta em silencio. Quando chegamos na calçada paramos ao lado do carro, desabracei olhando bem pro seu rosto, aqueles olinhos vermelhos que já estavam meio fundo muito antes de chegar aqui, não suporto ver mulher nenhuma chorando, ainda mais essa que tem uma importância pra mim inexplicável. Limpei suas lagrimas que caia com o meu polegar 

Justin: Não chora mais ta?  

Ela de um sorrisinho fraco,então abri a porta para que ela entrasse no carro. Depois disso fechei a mesma, dei a volta e entrei nele também. 


Justin: Você conseguiu, estou orgulhoso – falei enquanto colocava o sinto de segurança-
Mel: É, graças a você
Justin: Eu só te fiz companhia, eu não te obriguei a entrar.
Mel: De qualquer jeito, eu não sei explicar mas você me da forças Justin.


Sorri igual um idiota com aquilo, girei a chave e dei partida no carro


MellanieON


Justin tinha razão, eu tinha que fazer isso uma hora ou outra e estou me sentindo muito mais leve agora, e sabe, de certa forma eu estou feliz de não ter feito isso sozinha, estou feliz de ter ido até lá com ele,com o Justin. Estávamos no carro ainda, quando eu resolvi perguntar.

Mel: Vamos voltar pra Atlanta?
Justin: Na verdade eu gostaria que você conhecesse meus avós, aproveitamos e dormimos por lá.
Mel: Tá doido? Ir conhecer seus avós nesse estado?
Justin: Eu não vejo nada de errado com você
Mel: E eu não vejo nada certo, olha meus pés estão cheios de terra
Justin: E daí os meus também!
Mel: É diferente.
Justin: Claro que não.
Mel: Você não está indo conhecer seus avós pela primeira vez.
Justin: Ninguém vai olhar pro seus pés
Mel: Vão olhar pra esse rosto horrível, cheio de olheiras – me olhei no espelho do carro vendo o estrago-
Justin: Continua lindo!
Mel: O que continua lindo?
Justin: O seu rosto.
Mel: Você ta me cantando? – olhei pra ele e ele sorriu-
Justin: Claro que não.
Mel: Parece
Justin: Não sou homem de cantadas e sim de atitudes.
Mel: cof cof – fingi um tossido-
Justin: O que é, ta duvidando ?
Mel: Euuu?? Maginaaa!
Justin: Se quiser eu posso te mostrar agora mesmo que sou um cara de atitudes.
Mel: Depois diz que não está me cantando –ri-
Justin: E não estou, só fiz uma proposta.
Mel: E eu acabo de ignora-lá pra dizer que não vou na casa dos seus avós desse jeito.
Justin: Você não tem escolha, sou eu que estou dirigindo.
Mel: Eu posso abrir o vidro do carro agora e gritar sabia?
Justin: E o que você vai gritar?
Mel: Que estou sendo seqüestrada por um estuprador.
Justin: Se você gritar isso, vou ter que virar um estuprador de verdade – me olhou e fez uma cara maliciosa-
Mel: Você é um Idiota – ri e bati no braço dele-
Justin: Acho que eu não ligo de ser idiota, desde que você esteja sorrindo

Ok aquilo nem mexeu comigo não é? Ele ama isso, ele ama ser do tipo ‘’ conquistador’’ e faz tudo muito bem, a essa altura quando ele me faz sorrir, quando ele banca o idiota eu já nem sei se o odeio tanto assim, é tudo tão confuso, um mistura de sentimentos que não dá pra explicar. Fiquei em silencio sem mostrar reação alguma com o que ele disse, mas não deu muito certo então voltei a sorrir

Mel: Depois diz que não está me cantando.

Ele riu também, balançou a cabeça e continuou dirigindo, eu não acredito que eu vou na casa dos avós dele, na verdade meus pés nem estavam tão sujos assim, eu só estava inventando uma historia pra não ir... qual é? eu sou tímida!

 Passamos em frente a um lugar um tanto quanto conhecido...

Mel: Ali é o Avon Theatre?
Justin: É sim.


Fiquei olhando pra atrás até aquele lugar desaparecer, o lugar que um dia eu sonhava em conhecer também, na realidade eu sonhava em conhecer cada detalhe dessa cidade mas o Avon Theatre era a minha paixão. Finalmente chegamos na casa do seus avós, descemos do carro e logo alguém veio correndo em nossa direção, era uma garotinha, peraaaai essa garota está tão grande, ela não pode ser a...

Justin: Jazzy!! – falou enquanto a pegava no colo-
Jazzy: Juss eu não sabia que você vinha.
Justin: E eu não sabia que você estava aqui! Cadê o papai princesa?

Ah era só o que me faltava, o Jeremy estar aqui também eu morro de vergonha, ainda mais por não estar em trajes adequados

Jazzy: Papai saiu com a minha mãe e com o Jaxon , aí eu pedi pra ficar aqui com a Tia Diane,  ele me deixou dormir aqui hoje.
Justin: Ah que bom lindinha. Agora me diz, estava com saudades do seu irmão?  
Jazzy: Estava sim.
Justin: Então diz ‘’ eu te amo Justin’’
Jazzy: Eu te amo Justin.
Justin: -riu e a encheu de beijos- Eu também te amo minha linda
Jazzy:  Eu sei.
Justin: Que mocinha convencida
Jazzy: É...mais uma namorada Jus? –falou notando minha presença-
Justin: Quem vê pensa que tenho muitas namoradas né Jazzy!?
Jazzy: Ah mas você tem, aquele dia que eu fui na sua casa em Atlanta você...
Justin: Ei lindinha, que tal ir avisar pra vovó que eu estou aqui ? – a colocou no chão mudando o assunto-
Jazzy: Tudo bem eu vou, mas essa sua namorada é a mais linda de todas.

Ela saiu correndo pra dentro da casa, Justin tentando disfarçar como se eu não soubesse que ele pega a geral.... Jazzy é ainda mais linda pessoalmente, sabe ela me fez me lembrar da Jessie, da primeira vez que eu a vi e ela perguntou pro Justin se éramos namorados. Ah como eu sinto a falta dela também.

Fomos andando em direção a casa, eu estava logo atrás do Justin que fez questão de me puxar pelo braço para que eu ficasse ao seu lado, assim que entramos uma senhora veio com um sorriso enorme pra perto de nós e abraçou Justin logo após se aproximar


Diane: Querido,  porque não avisou que vinha?
Justin: Resolvi de ultima hora vovó
Diane: Eu estava com tanta saudade do meu rapazinho -falou enquanto o desabraçava-
Justin: Eu já sou um homem vovó.
Diane: Tem razão querido. E quem é essa garota linda?
Justin: Uma amiga do colégio
Diane: Amiga né!? ...ok... entendo – piscou pra ele e sorriu- Como você se chama?
Mel: Me chamo Mellanie, é um prazer em conhece-lá –falei enquanto a cumprimentava com um beijo no rosto-
Diane: O prazer é todo meu, fique a vontade.
Mel: Muito obrigada.
Diane: Magina – sorriu simpática- Mas então, vocês vão dormir aqui essa noite?
Justin: Vamos sim vovó, quer dizer, se não for incomodar
Diane: Como se eu não gostasse de ter meu neto aqui comigo.

Ficamos todos lá no sofá da sala conversando, Diane disse que o Bruce avô do Justin tinha saído pra comprar umas coisas mas logo estaria ai. Diane é um amor,fazia de tudo pra nos agradar, fez até chocolate quente pra gente vê se pode! Não tinha necessidade de se incomodar, apesar de cair muito bem o chocolate  porque se em Atlanta já é frio imagina aqui no Canadá que é dez vezes pior. Mesmo com toda sua gentileza eu ainda estava bem tímida e minha salvação foi quando Jazzy começou a insistir para me mostrar suas bonecas lá no quarto de cima,  Justin tentou impedi - lá dizendo que eu estava muito cansada e que não podia brincar agora, mas eu disse que não tinha problema algum, afinal de contas eu amo crianças e me dou super bem com elas.

Jazzy: Olha o tanto de bonecas que eu tenho – arrastou uma caixa pra perto da gente tirando de lá varias Barbie-
Mel: Meu Deus, quantas bonecas Jazzy...
Jazzy: Sim! Foi o Justin que me deu quase todas inclusive esse boneco aqui .... 

Mel: -ri- Mas só um homem no meio de tantas garotas!?
Jazzy: Aham, e todas querem namorar com ele... mas a única que ele quer é essa aqui – me mostrou uma Barbie linda, com um vestido roxo com glitter-
Mel: Que linda, como ela se chama?
Jazzy: Ainda não dei um nome pra ela. Mas acho que vou a chamar de Mellanie.
Mel: Vai dar meu nome pra ela?
Jazzy: Vou, porque ela é tão linda quanto você.
Mel: aaawn lindinha! Tudo bem, mas você ganha de mim.
Jazzy: Não mesmo.
Mel: Com certeza sim e tem mais, aposto que você já deve ter algum pretendente na escolinha não tem?
Jazzy: Tenho, mas não conta pro Justin por favor
Mel: Pode deixar vai ser nosso segredo – pisquei pra ela e sorri-  Agora princesa, posso te fazer uma pergunta ?
Jazzy: aham – balançou a cabeça positivamente-
Mel: O Justin trás muitas garotas pra cá?
Jazzy: Não, ele não trás nenhuma
Mel: Então porque você disse que ele tem muitas namoradas?
Jazzy: Porque sempre que vamos pra Atlanta ele está com uma namorada diferente, mas aqui na casa da Diane ele nunca trouxe nenhuma delas...só você.
Mel: Ah entendi
Jazzy: Sabe, uma vez eu ouvi ele dizer pro papai, que só traria pra conhecer os avôs dele a garota que realmente fosse importante pra ele.
Mel: Ele disse isso? O.O
Jazzy: Disse sim- começou a mexer na caixa até tirar uma das Barbie de lá de dentro- me ajuda a fazer uma trança nessa daqui? Eu queria fazer, mas eu não aprendi ainda
Mel: Claro, se você quiser eu posso te ensinar como se faz
Jazzy: Eu quero, eu quero... 


Fiquei ali com a Jazzy um tempinho a ensinando fazer tranças nas bonecas, até Diane aparecer no quarto em que estávamos, e pelo que percebi aquele quarto era da Pattie quando ela ainda morava aqui. Diane tirou Jazzy dali e a levou para tomar banho afinal de contas já tinha anoitecido, antes de ir me disse que eu poderia ficar com esse quarto essa noite. Agradeci e depois que elas saíram resolvi ir procurar o Justin, tinhas algumas coisas pra conversar com ele. 

 Andei pelo corredor procurando o quarto dele, talvez ele estivesse lá e realmente estava. Quando ele notou minha presença na porta colocou seus óculos de sol rapidamente, não sei porque mais tive a leve impressão de vê-lo chorar.
 

JustinON

 

Depois que a Mellanie subiu pra ir ver as bonecas com a Jazzy, eu subi pro meu quarto também pois estava exausto... Ah esse quarto!  Que saudades que eu tenho desse quarto, que saudades que eu tenho dessa cama e de todo o resto...que saudades de ter uma vida normal, e não, eu não estou reclamando de nada, é que as vezes simplesmente me bate uma saudade do que eu era antes.

Sentei na beirada da cama e de repente uma lagrima escorreu, a lagrima que eu segurei pra não deixar cair naquele cemitério, a lagrima de culpa e arrependimento. Eu tinha que pelo menos parecer forte ali com a Mellanie, mas aqui no meu quarto, na minha casa de verdade eu posso ser eu mesmo sem me importar com mais nada. 

  Depois de uns minutos vi a sombra de alguém na porta, coloquei meus óculos de sol rapidamente que por sorte estava bem perto de mim.


Mel: Eu posso entrar?
Justin: Claro, entra – ela entrou e se sentou do meu lado-
Mel: Eu queria falar com você
Justin: É, eu também preciso falar com você.
Mel: Ah então pode falar
Justin: Fala você primeiro.
Mel: Primeiro os cavaleiros
Justin: Esse não é o ditado certo mocinha.
Mel: Tudo bem, eu gosto de violar as regras
Justin: -ri-  Ok, na verdade eu queria te fazer uma pergunta sabe?
Mel: Pois faça então.
Justin: Por quê você aceitou vir comigo? ....Quer dizer, você tinha dito que nunca mais queria me ver, só achei meio estranho
Mel: É sobre isso que eu gostaria de falar com você. Lil Twist foi na minha casa Justin
Justin: O que ele queria? – a olhei supresso-
Mel: Ele me contou tudo, me contou que não foi você que atropelou Verônica  e sim ele. Sabe Justin eu acho que eu fui muito injusta com você esse tempo todo, quer dizer eu deveria ter investigado melhor pra saber quem estava dentro daquele carro, eu sempre soube que o Lil vivia andando com ele pra baixo e pra cima, mas eu nunca pensei que ele pudesse estar ali dentro naquele dia e não você, eu sou mesmo uma idiota, além do mais se tem um culpado nessa historia toda sou eu, por não ter sido capaz de evitar tudo aquilo.
Justin: Ei não diz isso –encostei minha mão em seu rosto o alisando de leve- você não tem culpa de nada, tudo isso poderia ser evitado se eu tivesse dado o abraço que ela me pediu
Mel: Talvez você estivesse com presa, ou tivesse algo pra fazer.
Justin: Ainda sim Mel, nada nesse mundo é mas importante que as minhas fãs tudo o que eu tenho são graças a elas e hoje mais do que nunca eu dou valor a isso. Se eu pudesse voltar naquele dia eu faria diferente, eu teria dado o abraço com o maior prazer do mundo, desculpa por ter sido o idiota que destruiu a vida dela, não só a dela como a sua e a da família dela também.


MellanieON


Depois de ter visto ele chorando, aquilo me comoveu me fez rever todos os meus conceitos, analisar todos os lados e eu simplesmente não posso jogar a culpa nele por algo que tinha que acontecer. A cada palavra dele me mostrava o quanto ele estava arrependido e isso mexia comigo de alguma forma

Mel: Não, não peça desculpas – se aproximei dele- vamos pensar assim, aconteceu porque tinha que acontecer e pronto
Justin: O que te fez mudar a forma de pensar?
Mel: Eu sinceramente não sei Justin, só sei que do nada me deu uma vontade louca de fazer uma coisa

Estávamos tão próximos, nossos rostos estavam tão perto, isso estava me deixando tão fraca e com uma vontade louca de sentir o seu beijo de novo, nunca pensei que um dia eu desejaria tanto o beijo de alguém desse jeito, ainda mais o beijo dele. Eu fitava seus lábios, doida pra senti-lós junto aos meus   

Justin: E porque não faz?  - ele sussurrou-
Mel: Não sei se eu devo
Justin: Sim, eu acho que você deve


E isso me deu o impulso pra fazer o que eu tanto queria, em menos de um segundo eu tinha se livrado dos poucos centímetros que nos afastava, meus lábios finalmente tocaram nos dele, mas foi  justamente nesse momento  que ouvimos um barulho na porta fazendo com que nos afastássemos antes mesmo de começar

Diane: Opa, desculpa eu acho que eu atrapalhei –falou super sem graça-
Justin: Atrapalhou não vovó pode entrar.
Diane: Só vim avisar que o jantar está na mesa, se quiserem comer.
Justin: Tudo bem já estamos indo


Ela foi embora morrendo de vergonha e eu não estava diferente dela,  que droga eu penso que eu estou fazendo? isso tudo é muito confuso pra mim, até ontem eu o odiava e hoje eu tenho uma vontade louca de beija-lo, de trocar carinhos, de tê-lo pra mim.

Mel: Eu não estou com fome vou pro meu quarto – falei enquanto me levantava da cama,  Justin segurou meu braço logo após-
Justin: Tem certeza que não quer terminar o que começou?
Mel: Desculpa, mas não dá

Me soltei de suas mãos e sai correndo dali fugindo como se eu estivesse a cometer um crime. Entrei no quarto em que Diane disse que eu poderia ficar e me joguei na cama. O que eu estou fazendo? Será que o ódio e o amor realmente andam juntos? Eu deveria odia-ló e não me apaixonar por ele. Fiquei deitada tentando não pensar em nada, fiquei assim durante quase 40 minutos quando alguém bateu na porta, eu abri e era  Diane me trazendo um bandeja com o jantar.

Mel: Não precisava
Diane: É claro que precisava querida...e além do mais se eu não trouxesse a comida Justin certamente teria um troço- colocou a bandeja sobre uma cômoda-  deu pra perceber que meu neto se preocupa muito com você.
Mel: Eu me preocupo com ele também –sorri- a propósito onde ele está?
Diane: Ele tem que acordar cedo amanhã, fiz com que ele se deitasse.
Mel: Acordar cedo? – perguntei intrigada-
Diane: Ele não te contou? – balancei a cabeça negativamente-  Ele acaba de me contar enquanto jantava, Scooter vai estar aqui amanhã cedinho, me parece que tem alguns shows pra fazer e vai ficar fora de Atlanta durante uma semana.
Mel: Ele não me falou nada sobre isso.
Diane: Vai ver ele se esqueceu. Mas não se preocupe, pelo o que eu entendi Kenny virá com Scooter para que você não tenha que viajar até Atlanta sozinha –foi andando até a porta- bom, agora deixa eu ir lavar a louça antes que eu perca meu programa favorito.
Mel: Deixa que eu ajudo a senhora com as louças
Diane: Magina que visita na minha casa vai lavar louças, pode ficar parada ai mocinha! – eu ri e a obedeci-  se quiser tomar banho, separei umas roupas que eu comprei pra prima do Justin ali na penteadeira, ele nem ao menos chegou a usar... Vou te deixar descansar agora.
Mel: Obrigada, a senhora é muito simpática.
Diane: Você é uma graça também meu anjo. E seria ainda mais se começasse a me chamar de Diane e não de senhora.
Mel: -ri- Eu posso tentar.
Diane: Eu adoraria 


Rimos então ela foi embora fechando a porta. Comi aquela comida e posso garantir a vocês, é a comida mais maravilhosa do mundo inteiro, não sei como o Justin conseguia ser tão magrinho na época em que morava perto de sua avó, se eu tivesse uma avó que cozinhasse tão bem eu provavelmente seria uma obesa. Após devorar tudo, entrei no banheiro e tomei um banho eu realmente estava precisando, me enxuguei com um toalha que estava sobre a roupaa que Diane havia separado pra mim e depois coloquei a roupa também. Me joguei na cama, eu estava exausta  porém não consegui dormir de imediato. Comecei a pensar na minha vida e em tudo o que me aconteceu durante esses dias, foram tantas coisas em pouco tempo, uma perfeita reviravolta. Fiquei assim até que eu me lembrei do que a Diane tinha me dito , Justin vai viajar e ficar uma semana fora essa idéia não me agrada nada, na verdade eu fico triste só de pensar na possibilidade de ficar longe dele por um semana inteira, quer dizer eu já me acostumei com a sua presença, já faz algum tempo que eu o vejo todos os dias e mesmo que na maioria das vezes passamos o tempo brigando eu vou sentir falta. Uma semana vai ser muito tempo, eu sinceramente não quero ficar longe dele!
 No meio desses pensamentos eu acabei adormecendo...


(...)


Acordei de manhã levando alguns segundos até me tocar que eu não estava no meu apartamento e sim em Stratford e ainda por cima na casa dos avós do Bieber.Olhei no celular e era 5:27, ainda estava bem cedo e eu queria ficar mais tempo na cama só que ai eu lembrei do que Diane disse ontem a noite, JUSTIN VAI VIAJAR AGORA DE MANHÃ! Eu vou ficar uma semana sem vê-lo e eu nem ao menos me despedi dele. Será que ele já foi?  

Corri pro banheiro, penteei meu cabelo e escovei os dentes com um escova nova que eu achei na gaveta, foi tudo em questão de segundos, tinha que dar tempo de eu pelo menos me despedir dele. Desci as escadas correndo pois quando passei pelo seu quarto não vi ninguém e isso me fez imaginar que ele já tenha ido, cheguei na sala vi somente a Diane

 
Mel: Cadê o Justin? –perguntei ofegante-
Diane: Ele acaba de sair...

Corri até lá abrindo a porta e por sorte ele ainda estava ali andando em direção a um carro estacionado 


Mel: JUSTIN!!  - eu gritei o fazendo  parar-

Voltei a correr em sua direção fazendo assim até me aproximar dele que me encarava confuso.

Justin: O que foi?
Diane: Minha mãe sempre me ensinou a terminar o que eu começo

Coloquei meus braços entrelaçando os seu pescoço e o beijei,  não acredito que eu fiz isso  mas também não me arrependo é a melhor sensação do mundo beijar esse garoto além do mais eu não podia esperar um semana inteira pra matar a vontade dessa sua boca. Ele tinha as mãos em volta a minha cintura pressionado minha barriga contra a dele, era como se nossos lábios dissessem ‘’finalmente’’, não só nossos lábios como todo o nosso corpo também.  Aos poucos fomos diminuindo a velocidade até parar pela falta de ar, abri os olhos e vi o sorriso mais lindo do mundo que me fez sorrir também, ele me selou em seguida, duas vezes.

 Continuamos na mesma posição, sem afastar nosso corpo um centímetro se quer 


Mel: Eu não acredito que você ia viajar sem se despedir de mim
Justin: SCOTTER EU NÃO QUERO IR MAIS! – ele gritou pra alguém que provavelmente estava no carro me fazendo rir –
Mel: Você precisa ir Justin
Justin: Eu não quero
Mel: Não se preocupa eu vou estar em Atlanta esperando você voltar
Justin: E se você se arrepender ?
Mel: Não vou me arrepender, eu quero você.
Justin: E eu quero você –me selou de novo- promete não se esquecer de mim?
Mel: Justin é só uma semana -ri-
Justin: Mesmo assim, promete?
Mel: Eu prometo que vou pensar em você a cada minuto
Justin: E a cada segundo não?- alguém tocou a buzina do carro-  NÃO ESTRAGA O CLIMA FILHO DA PUTA!
Mel: -ri- A cada segundo também, agora vai antes que ele desça do carro e te leve a força.
Justin: Eu tenho mesmo que ir?
Mel: Pensa nas suas fãs
Justin: Tem razão, mas antes eu posso ganhar mais um beijo?
Mel: Não pode não, vou guardá-los pra quando você voltar.
Justin: Tudo bem, então eu roubo

Ele me beijou de novo, fui andando enquanto nos beijavamos o levando em direção ao carro até que o Justin encostou as costas no mesmo. Depois  ele abriu a porta, então eu coloque minhas mãos sobre seu peito afastando nossos lábios e o empurrando pra dentro do carro...  
 
Mel: Vou sentir sua falta
Justin: Eu já estou sentindo a sua. 

Fechei a porta do carro pra ele, me afastei e fiquei olhando até o carro desaparecer no final da rua, sim ele tinha ido...

-----------------------------------------------------
Prontinho!

Quero comentarios, será que alguém ainda lê essa fanfic? 
Enfim 

beijos minhas lindas 

43 comentários:

  1. Caraaa que perfeito *-*
    Espereei tanto por isso :3
    Sério, tu escreve muuito bem, essa fanfic é uma da melhores que eu já li *-*
    Apaixonada pelas tuas fanfics, são divas u.u

    Espero que não demore muito pra postar .. kkkk
    CONTINUA :D

    @LetciaCardoso2

    ResponderExcluir
  2. Cooonntiua. Tá tão perfeita.

    ResponderExcluir
  3. continuaaa
    ta perfeita

    ResponderExcluir
  4. Ahhhh *-* q coisa fofa

    ResponderExcluir
  5. Continua amr,to adorando de vdd,só acho q a mel tem q ir um pouco devagar pq fica estranho,ela odiar ele e de um dia p outros beijar,abraçar... Mais ta bom assim,ta ótimo u.u amr o meu fc @weshawtybiebs foi suspenso me segue no @60nojdb , vou indicar a ib por la

    ResponderExcluir
  6. OMG perfeitoooooooo.... até q fim né....por favor continuaaa eu estou amando continuaaaaaaa #superansiosa

    ResponderExcluir
  7. Está super mega perfeito. Por favor nao demore muito desta vez.,Tá muito fofo continua RAPIDO!!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. OMG! Continua logo por favor está muito perfeito

    ResponderExcluir
  9. Olá flor nossa está ficando muito perfeito continua logo.

    ResponderExcluir
  10. Nossa....tá perfeito....continua...logo

    ResponderExcluir
  11. Coooonntinuaaaa por favor

    ResponderExcluir
  12. Continua linda tá muito top.

    ResponderExcluir
  13. ai mdss to cada vez mais viciada na sua fanfic eu entro todo dia pra ver se tem capítulo novo continuaa e ñ demora mt pra postar por favor =)

    ResponderExcluir
  14. Oiii está super perfeito. Nao demora para postar nao por favor.

    ResponderExcluir
  15. Continua plmdds to mto anciosaa

    ResponderExcluir
  16. Mds mds mds mds, nao acredito nisso cara, qie lindos, q meus *-*

    ResponderExcluir
  17. OMG!!! Gata continua logo por favor.

    ResponderExcluir
  18. Nossa cada dia to mais apaixonada pela say no to love.

    ResponderExcluir
  19. Amor continua logo por favor.

    ResponderExcluir
  20. Nossa....
    Que perfeito...
    Continua linda rápido.....rápido ...............................................................................rápido .....................................................................rápido

    ResponderExcluir
  21. CONTINUA!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  22. Oii...
    Vc é uma otima escritora...
    Continua logo linda

    ResponderExcluir
  23. Oii continua logo e nao demora muito por favor

    ResponderExcluir
  24. Querida continua logo.

    ResponderExcluir
  25. Perfeito..........Continua

    ResponderExcluir
  26. Nao demora desta vez.

    ResponderExcluir
  27. Vei tá muito fofo continua por favor

    ResponderExcluir
  28. PERFEITO.... CONTINUA

    ResponderExcluir
  29. Que perfeito ... Continua

    ResponderExcluir
  30. continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  31. quando vai voltar com a outra ib?
    aaaaaaah continua por favooooor

    ResponderExcluir
  32. cara tem 40 comentários já mdss continua por favoor ta mt bom

    ResponderExcluir
  33. Oi, sou uma leitora nova, eu comecei a ler por acaso sua fanfic e achei perfeita. Eu faço ibs tbm mas ainda não tive coragem de postar e parei por falta de tempo, trabalho, escola, namorado e família é meio complicado. N vou ter tmp de comentar smp pq leio no caminho do serviço, na escola, no intervalo, antes de dormir. msm sem te lido os outros capítulos gostei em especial deste pois chorei lendo a parte em q o jus leva a mel até o túmulo de verônica. queria dizer que vc escreve mt bem msm e continua smp eu sei q estou ben atrasada mas msm sem ter lido os outros eles devem ser mt bons msm eu ando durmindo mt tarde pois fico lendo e lendo e nn da vontade de parar nunca. Ta mt pft, Parabéns pela sua fanfic, vc é ótima ;)

    ResponderExcluir